Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sandra.wink.wink

Sandra.wink.wink

Toque

toque.jpg

 

 

Por vezes uma música ou um cheiro provocam recordações de momentos bons e .. menos bons. Ás vezes certas palavras também me levam ao passado. Ontem abro o face e lá estava, não sei quem deu-te um toque. Pois é, toque para mim é quando estamos em trabalho de parto e nos metem a mão pela passarinha adentro, e por ter esta recordação maravilhosa não consigo gostar de ninguém que me manda um toque. A alminha que fez esta tradução deve de ser homem de certeza.

 

 

Era só jajão

Andava eu pela net quando vejo isto no jornal Publico:

p3.jpg

 

depois leio os comentários

p32.jpg

 

No dia seguinte leio

 

p33.jpg

 

Mas então surge ainda mais um comentário

 

p35.jpg

 

 

 Enfim, fui verificar. O dito curso não se encontra disponível porque está desactualizado

p34.jpg

 

Obrigado Publico, por esta noticia completamente desnecessária, será que é a isto que se chama jornalismo de encher chouriços?

 

 

Toma lá que é para não seres preconceituosa

800.jpg

 

À uns dias estava eu no banco, na fila da caixa. Nas cadeiras junto a parede estavam sentadas duas senhoras. Entra uma cigana, passa pela fila e senta-se junto ás senhoras.Torci o nariz, a cigana vinha com aquelas saias compridas e lenços na cabeça tudo preto, mas completamente esfarrapado, era buracos na saia, nódoas tudo uma desgraça. Pensei , mas há necessidade de andar assim? o que é que esta pretende? pena?

A fila vai avançando e chega a vez das duas senhoras, uma diz: -Agora não posso, não me estou a sentir bem. Estava realmente pálida. A outra vai apressadamente buscar um copo de água que lhe passa para as mãos e volta-se a correr para o balcão não fosse perder a vez.

Reparo que, a senhora nem consegue beber a água, foi perdendo as forças, deixou cair o copo e começa a tombar para o lado até que desmaia. Quem é que a amparou? não fui eu nem as pessoas que estavam na fila e muito menos a outra que já estava a ser atendida. Foi a cigana. Pois, foi a cigana esfarrapada a quem eu torci o nariz, amparou a velhota, impediu que cai-se da cadeira, desapertou-lhe o casaco e apanhou o copo de água. Ali ficou a abana-la com um papel enquanto o funcionário do banco telefonava para o 112.

 E eu? eu sai do banco a sentir-me uma miserável.

 

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Instagram

Facebook

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D